,

CBMM investe em startup para acelerar negócios em baterias

Revista Controle & Instrumentação
A CBMM liderou a primeira rodada de investimentos na @Echion Technologies , empresa britânica que desenvolve materiais avançados para baterias de íons de lítio. O aporte, realizado em conjunto com o fundo de investimento BGF somou R$ 72 milhões de reais e é mais uma iniciativa da companhia para consolidar sua liderança no desenvolvimento de tecnologias aplicadas para materiais de baterias com óxido de nióbio, o que deve revolucionar o setor de mobilidade elétrica em todo o mundo.
“Este investimento faz parte da nossa estratégia de acelerar tecnologias inovadoras. Pretendemos avançar ainda mais em direção à mobilidade sustentável, oferecendo baterias de carregamento ultrarrápido, que possuam maior estabilidade e vida útil. Estamos otimistas e acreditamos que esses novos produtos já estarão disponíveis no próximo ano”, explica Rodrigo Amado, Gerente de Estratégia e Novos Negócios da CBMM.
Juntas, CBMM e Echion pretendem desenvolver produtos com uma combinação única de capacidade de carregamento rápido, economia e alta densidade de energia, características essenciais para a transição energética mundial, ou seja, em sinergia com as tendências de descarbonização e de fomento à eletrificação.
Com esse investimento, a empresa britânica ampliará a produção desses novos materiais, que já foram avaliados e aprovados pelos principais fornecedores de células de baterias do mundo, aumentando sua capacidade de atendimento à crescente demanda para testes pré-produção. Os recursos também serão destinados ao fortalecimento do suporte ao cliente, para as operações comerciais e de P&D. “Estamos muito empolgados para iniciar a próxima etapa em nossa jornada e levar os produtos com óxido de nióbio ao mercado. Esperamos criar valor para nossos parceiros e contribuir para tornar as baterias de carregamento ultrarrápido uma realidade”, comenta Jean de La Verpilliere, CEO da Echion.
A CBMM acredita que o mercado de baterias elétricas se desenvolva significativamente nos próximos anos. Atualmente, a companhia conta com mais de 40 projetos com universidades, centros de pesquisa e empresas de todo o mundo, visando a aplicação de novas tecnologias com nióbio para este segmento. “Apenas este ano, vamos investir R$ 60 milhões em nosso Programa de Baterias, um aumento de cerca de 60% sobre os R$ 37 milhões aportados em 2020. Queremos elevar o protagonismo do nióbio neste setor”, destaca Amado.
A CBMM investiu R$ 14 milhões em uma nova planta-piloto para o desenvolvimento de tecnologias de nióbio para baterias elétricas. O novo espaço será inaugurado ainda este ano e fará parte do complexo industrial da companhia, localizado no município de Araxá, em Minas Gerais.
Atualmente em 150 mil toneladas, a capacidade de produção da empresa deve chegar a 210 mil toneladas de nióbio até final de 2026: a CBMM está preparando um novo ciclo de investimentos na sua operação e deve investir R$ 7 bilhões a partir do ano que vem.
Fonte: Revista Controle & Instrumentação
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *